Um bate-papo com… Talita Chaves, do Inside the office

By 25 de outubro de 2016 5 perguntas, principal, rio de janeiro

Você deve estar acostumado com as entrevistas de cinco perguntas aqui do Um fôlego e pode ter estranhado esse ‘bate-papo’ aí do título. É uma mudança, sim. Para melhor! Eu espero… rs Quando marquei uma entrevista com a jornalista e fotógrafa Talita Chaves, do Inside the office, a ideia era manter o padrão, mas a conversa foi tão fluída e espontânea, que eu achei que seria não valia  a pena colocá-la na caixinha de costume. E foi assim que resolvi mudar e espero que você goste da experiência.

Virtualmente, conheci a Talita não me lembro quando, só sei que foi encanto à primeira navegada. Descobri o site dela graças a um post do Durval Amorim e fiquei horas lendo as histórias que ela contava, admirada com o texto, tão íntimo e cuidadoso, e com as fotos, coloridas, bem feitas, vivas. Fiquei com a ideia de que ela era uma pessoa alegre, para cima, que deveria aparecer aqui no blog. Depois de algumas tentativas, finalmente marcamos um café da manhã em Ipanema. E, totalmente por acaso, calhou de esse encontro ser justamente no primeiro dia de primavera: 22 de setembro. Percebi isso depois e gostei da coincidência. O dia estava azul no Rio, com a temperatura começando a esquentar, mas ainda amena, um cenário propício para o papo que tivemos sobre transição de carreira, a busca por um trabalho que te faça feliz e o universo do empreendedorismo digital.

Em pouco mais de uma hora de conversa, Talita falou sobre a trajetória profissional dela, que hoje se mistura à pessoal, de certa forma, contou como nasceu o Inside the office, ouviu um pouco das minhas experiências, deu algumas dicas de leitura e revelou um pouco dos próximos passos do projeto dela, que, entre outras coisas, vai se aproximar mais do Rio de Janeiro nos próximos meses. “Eu fiquei muito tempo viajando, fui para Belo Horizonte, São Paulo. Aqui ainda tem muita gente para eu conhecer. Uma das entrevistadas que chegou até mim, por exemplo, tem um trabalho lindo no Rio que eu não conhecia”, explica.

Foto: Talita Chaves.

Foto: Talita Chaves.

Depois de 11 anos de trabalho na Comunicação da Petrobras, com experiência em diversas áreas, mas limitada a realizar um trabalho mais técnico, já que o conteúdo produzido por ela era direcionado ao público interno, Talita foi demitida – efeitos da crise –, junto com uma equipe de mais de dez pessoas, em 2015. Como já pensava em mudar de vida, mas tinha dificuldade de largar as delícias da zona de conforto para enfrentar o novo, ela viu nessa virada de jogo uma oportunidade de fazer uma transição de carreira: “A vida me tirou daquele lugar, me jogou para outro canto”. Com uma pós-graduação em fotografia no currículo, ela sabia que queria investir nessa área. E também que queria falar sobre decoração – o que a ajudaria a trazer mais cor para a própria vida – e sobre pessoas realizadas profissionalmente. Após uma pausa de um mês para se organizar, em agosto do mesmo ano, ela criou o Inside the office.

O projeto começou com entrevistados de fora do Rio, assim, ela aproveitava para viajar enquanto trabalhava. “Eu colocava a mochila nas costas e ia. Tentava fazer as viagens custarem o mínimo possível. Foi incrível pra mim, era uma sessão de terapia. Eu não ia com pergunta, era como a gente está fazendo aqui: eu chegava lá e começava a perguntar como foi, como começou, como chegou até aqui. Um pouco da história de cada um foi me dando força e eu fui vendo o que eu não queria mais para mim. Quando eu escrevi o primeiro texto, eu pensei: nem eu sabia que eu conseguia escrever dessa forma. Eu escrevi com o coração. E eu acho que as pessoas foram lendo e foram se identificando”, relembra Talita.

Podemos dizer que o Inside the office, hoje, é um site que dá um passo a mais em relação aos blogs tradicionais de decoração que focam mais em fotos e produtos. A Talita fala sobre decoração, design e criação em geral, com foco em contar quem são as pessoas, quais são as histórias por trás dos objetos que ela fotografa e quais caminhos levam a eles. Ela prioriza a identidade que sobressai em cada ambiente de trabalho, em cada arte manual que ela conhece e apresenta aos leitores.

Além disso, o site é, também, uma vitrine para o trabalho da Talita, tanto pelos textos quanto pelas fotografias que ela publica. E a ideia dela é, justamente, começar a oferecer mais serviços no site, usando essas habilidades que ela tem e o conhecimento que o projeto já proporcionou a ela. “Você não pode exigir de um projeto mais do que ele pode te oferecer. Tem um tempo para amadurecer. Pode ser que eu possa viver só dos serviços que eu ofereço nele, mas pode ser que eu tenha que fazer freela também. Eu percebi como as pessoas não valorizam muito o trabalho do artista, do jornalista, do fotógrafo, o trabalho criativo. E é uma coisa que eu pretendo mudar com o projeto. Meu sonho é poder viver do projeto“, explica ela.

Detalhe do ateliê da @aquarelas_da_pilar. Foto: Talita Chaves.

Detalhe do ateliê da @aquarelas_da_pilar. Foto: Talita Chaves.

Aquarela do @durvalamorim. Foto: Talita Chaves.

Aquarela do @durvalamorim. Foto: Talita Chaves.

Banquetas do @ateliejuamora. Foto: Talita Chaves.

Banquetas do @ateliejuamora. Foto: Talita Chaves.

Uma das ideias da Talita é ajudar empreendedores digitais a produzir conteúdos interessantes e com qualidade visual para divulgar seus próprios projetos online. No site, ela fez um texto recentemente com dicas de fotografia para empreendedores. Recomendo muito a leitura, há dicas valiosas – e super detalhadas – lá. Talita respondeu a perguntas de três pessoas que têm empresas e indicou perfis legais para acompanhar, serviços e hábitos – como montar um mural no Pinterest – que podem ajudar os empreendedores. Um dos serviços que ela quer oferecer é esse apoio, essa consultoria para ajudar os novos empreendedores a serem mais seguros e terem mais confiança no conteúdo que estão divulgando para os clientes.

“Tem pessoas que são mais seguras de si e outras, não. Mas, mesmo as mais seguras de si vão ter o dia ruim, a bad trip, como eu falo. É normal. Eu acho que o denominador comum [entre as pessoas que ela entrevista, que são feliz com o trabalho] é você ter fé, acreditar antes daquilo acontecer, e ter a capacidade de colocar a mão na massa, capacidade de realização. Tem dia que vai ser difícil, mas vamos lá, vamos fazer. Eu também tenho essas inseguranças, mas quando eu converso com eles, a gente se identifica. Já teve entrevistado que me disse: ‘Tem dias que eu estou me achando foda, tem dias que eu me acho louca'”, conta ela. Em um ano de Inside the office, Talita já acumulou muitas histórias e experiência com o mundo digital, por isso, ela ressalta que tenta fugir das fórmulas mágicas e falar a verdade, contar os perrengues, não florear as histórias: “É muito o que a Rafa Cappai fala: ‘Não adianta você colocar cinco aviões para decolar ao mesmo tempo. Você tem que se dedicar’. Acho que se as pessoas passassem a preocupar menos com ‘quero ter x números’ e colocassem um pouco delas em cada coisa que fazem, naturalmente, as coisas iam acontecer. Mas você tem que ser não muito ansioso”.

Sobre ser uma empreendedora, Talita fala com entusiasmo e, também, certo cuidado. Ela parece totalmente à vontade e feliz com o caminho que a vida dela está seguindo e motivada a estar em contato e incentivar pessoas que estejam seguindo uma trajetória parecida, mas mantém os pés no chão: “Eu estou nessa vida agora, mas eu não acho que porque eu estou desse lado todo mundo tem que empreender. Eu acho que cada um tem que respeitar a própria natureza. Não acho que todo mundo nasceu para empreender. Mas se você quiser, você pode mudar a sua realidade. Eu mudei“.

Foto: Cris Rezende Fotografia.

Foto: Cris Rezende Fotografia.

Lá no início eu disse que a Talita tinha dado algumas indicações de leitura. Não foram indicações formais, foram livros que ela citou durante a conversa e que podem te interessar se você gosta de ler sobre empreendedorismo, criatividade, capacidade de realização e felicidade: ‘Empreendendo felicidade’, do Pedro Salomão, e ‘A grande magia’, de Elizabeth Gilbert, a mesma autor de ‘Comer, rezar e amar’. Boa leitura!

Seja o primeiro a comentar

    Deixe uma mensagem