Expira, inspira: Dia das Mães

Um dos artifícios dos tantos comerciais que invadem as televisões de nossas casas em homenagem ao Dia das Mães ano após ano é mostrar como nossas progenitoras são perfeitas aos nossos olhos. Nesse ano, umas mães são mais bonitas que artistas famosas e outras são coloridas e brilham. É verdade que no caso das propagandas o interesse comercial é o que move toda essa avalanche de declarações de amor. Mas isso não significa que elas não merecem ser lembradas nem torna menos importante o fato de reconhecer em nós a influência de quem nos carregou na barriga por nove longos meses de enjoos, desejos e quilos a mais.

Portanto, das nossas mães, para nós e para vocês.

1 – ‘Filha, passa um batom’. Acho que já ouvi minha mãe dizer essa frase umas mil vezes. Confesso que não sou muito fã de sair por aí com os lábios coloridos. Acho lindo nos outros, um pouco estranho em mim. Mas às vezes me rendo ao apelo da mamãe Faria e não dá pra negar a diferença: um rosto mais colorido e alegre.

2 – ‘Tá nervoso? Vai pescar!’. Acho que nunca ouvi minha mãe dizer isso, assim, com essas palavras, mas esse é o conselho mais frequente que ela me dá. Apesar de ser dona de um gênio indomável, mamãe da Costa sempre orienta seus filhinhos a controlar a língua e não falar demais. Pelo bom convívio social, por amor às pessoas queridas ou simplesmente para não ter um ataque do coração, a ordem é tentar deixar a raiva passar.

3 – Minha mãe me ensinou a gostar de música. Talvez isso nem se aprenda. Mas posso dizer que foi mamãe Faria que me apresentou a Caetano, Chico e Roberto, quando ligava, e ainda liga, o rádio, enchendo a casa de som todos os domingos de manhã.

4 – Have the time of your life! Toda mulher deveria se apaixonar uma vez na vida por Patrick Swayze em “Dirty Dancing”. Cheguei a essa conclusão depois de assistir ao filme umas quinhentas vezes ao lado da minha mãe. Ela passa longe – bem longe – de ser uma cinéfila, mas quer fazê-la feliz? É só colocar Baby e Johnny para dançar uma das coreografias mais conhecidas do cinema. Ver mamãe da Costa ter um filme favorito e assistir a ele sempre com um prazer imenso me faz pensar que a gente precisa ter uma válvula de escape. Precisamos nos encantar de novo e de novo principalmente quando os problemas parecerem insolúveis.

Júlia Faria e Viviane da Costa

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s