O diário de Vivi (parte I)

Essa era eu, há um ano e meio:

22 anos, 1,64m, 77,7 kg, IMC (medo) 28,8, manequim 42, glicose 93, colesterol 192

 Essa sou eu agora:

23 anos, 1,64m, 64,5 kg, IMC 23,9, manequim 38 (uhul!), glicose 83, colesterol 152

É, mudaram as estações e mudou muita coisa também. Tudo à base de muito sangue, suor e lágrimas. Portanto, se você ficou impressionado com os números, perceba que uma diferença de 18 meses os separam. Nada de “barriga chapada em sete dias” ou “20 quilos a menos com a dieta dos astros”.

Vamos por etapas. Começando pela melhor: sangue. Calma, o pessoal da saga Crepúsculo não vai passar nem perto desse post (quanto aos outros, não posso garantir nada…). É que, assim como na canção, um belo dia eu resolvi mudar. Com a ajuda de mamãe (fazendo um terrorismo psicológico brabo), ao receber meus exames médicos de rotina, eu me dei conta de que não estava com taxas sanguíneas assim tão boas. Glicose e colesterol beirando o tolerável para uma jovem de 22 anos não era, definitivamente, algo legal. Sem contar todo o papo de “histórico familiar” que me deixou ainda mais tensa e preocupada.

Portanto… Chocolate todo dia para ‘adoçar a vida’? Não. Massa no almoço ‘dia sim, outro também’, porque nada no cardápio parecia mais apetitoso? Nem pensar! Batata frita e uma picanha bem gordurosa? Melhor evitar. Foi assim que eu comecei a mudança: tirando o que estava errado. Miojo às 22h, antes de dormir, por exemplo, estava totalmente errado. Tanto que eu nem lembro quando foi a última vez que eu comi miojo.

O segredo, que todo mundo já está cansado de saber é: reeducação alimentar. De verdade. Como eu disse, mamãe ajudou muito. Ela foi a uma endocrinologista e nós ganhamos uma dispensa nova lá em casa. Fibra e água e abundância. Menos sal e gordura. E, pode crer, isso já é uma boa forma de reorganizar o relógio biológico. Em algumas semanas você já sente significativas diferenças no corpo: o intestino funciona corretamente, a pele fica mais bonita e a retenção de líquidos diminui, praticamente, sumindo com o inchaço. E são esses resultados que fazem você comer com muito prazer um sanduíche de pão integral e queijo branco no café da manhã no lugar de um pão francês quentinho com manteiga.

Para não dizerem que é ‘conversa fiada’, tudo lá de casa

Com o tempo (lembra? Um ano e meio!), eu acabei encontrando o equilíbrio alimentar. Não abro mão das coisas gostosas, só aprendi a balancear. E isso não é conversa para boi dormir! Claro que um franguinho grelhado não tem o mesmo ‘apelo’ de um bife acebolado, mas também tem seu charme. E, mais importante, seus benefícios. Principalmente para a saúde. E foi por isso que eu entrei nessa. Então, durante a semana, é frango grelhado no almoço mais vezes que o bife acebolado. É arroz integral no lugar do arroz comum. É fome saciada de três em três horas. No início é mesmo um pouco chato entrar na onda do ‘prato colorido’, mas depois que o corpo se acostuma, seu paladar passa a gostar do que antes ele achava ‘ruim’.

Você não precisa eliminar as besteiras maravilhosas que fazem sua vida mais feliz. Na TPM, só o chocolate salva desde o princípio dos tempos e assim vai continuar sendo. Só não dá para devorar uma barra de chocolate por dia. Bateu a vontade louca de comer doce? Come um pedacinho de chocolate. Depois, para distrair, tenta assar uma banana no micro-ondas e jogar canela por cima. Além de matar a vontade, você ainda dá um gás no metabolismo.

Com modificações simples e nada dolorosas – que é o mais importante – seu corpo vai mudar. E aprender a chiar. Quando eu saio da linha, o estômago dói, o fígado fica meio estranho e o intestino enlouquece. Enfiar o pé na jaca no fim de semana uma vez na vida e beber além da conta traz consequências difíceis, mas não é o suficiente para jogar tudo por água abaixo, desde que você invista em uma boa recuperação, com muita hidratação. Água de coco é uma ótima pedida, aliás. Outback com os amigos? Vou e não dispenso aquela batata frita tradicional. Mas nada de bater ponto toda semana. É a lei da compensação, meu povo. Funciona. Eu juro!

No próximo post, o suor!

Viviane da Costa

8 comentários sobre “O diário de Vivi (parte I)

  1. Vivi, lembra de mim? Nós estudamos juntas na PUC, nos primeiros períodos. Tomamos rumos diferentes: você foi por jornalismo e eu segui na publicidade. Enfim, tomara que você lembre :)
    O que eu quero aqui é parabenizar você, primeiramente por escrever tão bem, que aliás é um dom que te “persegue” desde a faculdade…mas você merece os parabéns principalmente pelo que conquistou nessa dura jornada do emagrecimento! ADOREI esse seu texto e estou ansiosa pra saber sobre o “suor” e as “lágrimas”! É, eu me identifiquei com a sua história porque ao longo de 4 anos eu engordei 10 quilos! Agora estou precisando emagrecer, já comecei a fazer exercício e procurei o vigilante do peso justamente pra me ajudar na reeducação alimentar.
    Bom, espero que você me dê sorte e que eu consiga recuperar o manequim 40, que já está de bom tamanho..rs,rs,rs!!!
    Beijos!

    • Lembro de vc, sim, Marina! Fico muito feliz que você tenha gostado do texto e espero corresponder às suas expectativas com os próximos. Quanto ao emagrecimento, olha, é demorado, mas é ótimo depois, isso eu posso garantir! E muito boa sorte na sua ‘jornada’!!

  2. Que linda, Vivizinha!!! Sabia que você tinha se formado em jornalismo, mas nunca tinha lido um texto seu. Agradeça a Deus pelo dom de escrever! Adorei seu texto: claro, preciso e divertido. Ah! E encorajador!! : ) A propósito, parabéns é pouco para você! Tem que ter muita disciplina e força de vontade, né? Não é fácil abdicar das guloseimas em prol da saúde… Tenho notado muito isso aqui no Canadá, onde engordei 5kg!!! O frio me fez ter vontade de comer compulsivamente!! Brabo… Mas já estou caminhando rumo ao meu corpinho de quando cheguei aqui. Não vejo a hora de tê-lo novamente! rs Um beijo querida, saudades de vc.

    • Luuuu, quanto tempo, hein! Tanto tempo que eu nem sabia que vc estava no Canadá. hahaha Olha, você sempre foi esportista e saudável, tenho certeza que não vai ter problemas com a balança! E muuuito obrigada pelos elogios! :)

  3. Amiga magrela!!!!! Adorei seu depoimento e tb fiquei curiosa pra saber as outras etapas deste processo. De vez em qnd passo por aqui pra ler seus textos, sempre com mta bossa e um jeito vivizinha de ser. Vc tá linda! Parabéns pelo blog e pela conquista do manequim 38! Uhuuul! Ah e um superparabéns pra fofa da sua mamis, q foi qm mais te incentivou! Um bjo nas duas! ;)

    • Éica, tô morrendo de saudade de vc! Amei o comentário e amei o novo manequim tb. hahahaha Espero que continue mesmo visitando o blog, hein!

  4. Pingback: O diário de Vivi (parte II) « fôlego

  5. Pingback: O diário de Vivi (final) « fôlego

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s