Melhor do Rio: Copacabana

O bairro que ganha uma canção do maestro Tom Jobim só pode ter algo de especial a oferecer. Dona de umas das praias mais famosas do mundo, Copacabana tem seu calçadão estampando em todo tipo de produto mundo afora e é parada certa dos turistas que vêm conhecer a Cidade Maravilhosa. Berço da Bossa Nova no final do anos 50, hoje, a Princesinha do Mar tem o título informal de bairro mais velho da cidade, devido à grande população idosa que ocupa a região. Do Leme ao Forte, Copacabana é um prato cheio de atrações para moradores e visitantes.

Sugiro começar um passeio no bairro pelo meu canto favorito: o do Forte de Copacabana, construído no final do século XIX para compôr o sistema defensivo da cidade. Chegar à pedra que fica na extremidade do Forte para observar o horizonte e o mar sem fim, sentindo o vento bater no corpo, faz parecer que as dezenas de pessoas que estão ao seu redor simplesmente não existem. É possível encontrar calma até mesmo no meio de uma multidão.

A entrada no local, que abriga, desde 1987, o Museu Histórico do Exército, custa R$ 6, com meia entrada para estudantes e maiores de 60 anos. Depois de um tempo curtindo a paisagem, você pode visitar o museu, que guarda parte da nossa história militar, e caminhar pela parte externa do Forte, que tem uma bela arquitetura e uma rua principal de paralelepípedos que é um charme à parte.

Se você for à tarde, é obrigatório encerrar a visita com um lanche no Café do Forte, da Confeitaria Colombo, de preferência, em uma mesa que fique próxima à mureta. Essa é a cereja do bolo! Sempre há fila de espera, portanto, vá preparado. Mas confie: a espera vale a pena. Leve uma boa companhia e coloque o papo em dia enquanto aguarda. Você nem vai sentir o tempo passar. A Colombo tem inúmeras gostosuras, com destaque para os doces. Eu recomendo a torrada Petrópolis, um clássico da casa. Macia e quentinha, fica uma  delícia com manteiga ou geleia. Vale anotar: até o dia 16 de fevereiro, durante o horário de verão, o sol está se pondo depois das 19h. 

Quem toma café da manhã mais tarde – o Forte abre abre às 10h -, pode ir de manhã, comer, visitar o local e depois disputar um lugar ao sol nas areias da praia de Copacabana, ou ainda sair com a energia recarregada para uma corrida – ou caminhada – de pouco mais de quatro quilômetros até o Leme. Você coloca a saúde em dia e ainda conhece a orla, os vendedores de lembrancinhas (há de cangas e camisetas a quadrinhos com pinturas e outros objetos criativos), os escultores de areia, o Copacabana Palace e o calçadão de pedras portuguesas mais lindo do Brasil. Para emendar o almoço, não faltam boas opções de bares e restaurante na Avenida Atlântica e mesmo nas ruas menores do bairro.

Vista panorâmica da orla de Copacabana a partir do Forte

Vista panorâmica da orla a partir do Forte de Copacabana. Foto: Viviane da Costa

Dica: não há estacionamento dentro do Forte de Copacabana, mas, com paciência, é possível conseguir uma vaga pela ruas próximas. Ônibus e metrô também atendem a área. 

Adendo: o Forte Duque de Caxias, conhecido como Forte do Leme, também é belíssimo, mas fica para um próximo post! ;-)

Viviane da Costa

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s