Melhor do Rio: literatura e a cidade

Conhecimento pode estar em uma experiência, em palavras, em sentimentos, em tudo o que nos tira da zona de conforto e acrescenta algo à bagagem que carregamos pela vida. Conhecimento é conquistado na prática e na teoria. Estar nas ruas, olhar de perto, observar, sentir e desbravar é importante para quem quer ser íntimo de uma cidade, por exemplo. Tão fundamental quanto é ler sobre a cidade em questão. No nosso caso, vocês já sabem, a cidade é o Rio de Janeiro, que dá o ar da graça aqui no blog semanalmente.

No lugar das sugestões de bairros, museus, parques, restaurantes e tudo o mais, entram os livros. Porque a gente quer conhecer o Rio além da superfície. A gente quer admirar as belezas naturais exuberantes, mas também quer saber muito sobre a história da cidade, quer se aprofundar na formação cultural dos cariocas – e agregados – e quer compartilhar outros pontos de vista com você. Afinal, do que é feita a Cidade Maravilhosa? Vamos rechear a estante e alimentar a mente para tentar responder a essa pergunta.

1 – ‘O cortiço’, de Aluísio Azevedo. O livro retrata, no limite da ficção, a realidade histórica do Rio no final do século XIX. O nome já denuncia o cenário escolhido pelo autor: os cortiços, espaços mal conservados, onde pessoas de classes mais pobres se amontoavam. João Romão, personagem principal, é dono de uma venda, de uma pedreira e do cortiço em questão. Vizinho do comendador Miranda, Romão é obcecado pela ideia de ser tornar rico. O livro foi adaptado para o cinema em 1978. A obra é de domínio público e o download você pode fazer clicando no nome aqui em cima.

2 – ‘A alma encantadora das ruas’, de João do Rio. O Rio é o grande personagem que salta aos olhos do autor João do Rio, com suas ruas, seus cantos e seus moradores. Em 37 crônicas, é revelada a alma da cidade, a partir de cenas cotidianas, aparentemente banais, mas cheias de expressão. O livro, de 1908, supera a mera observação e é, até hoje, fonte de reflexão sobre as transformações da ‘personalidade’ do Rio na época, que passava por um momento de mudança. São latentes nas descrições de João do Rio as marcas das tentativas de apagar ou ocultar a tradição e substitui-la pelo novo, consequência da busca desesperada por modernização. O livro está no mesmo site do anterior e o esquema de download é o mesmo.

DSCN2034

3 – ‘Ao som do mar e à luz do céu profundo’ e ‘Força estranha’, de Nelson Motta. As histórias ficcionais – com pitadas de experiências pessoais – de Nelson Motta, ambientadas entre as décadas de 60 e 80 retratam a sociedade e a geografia da Zona Sul da época. O primeiro é um romance cheio de suspense e erotismo. O segundo, uma coletânea de contos, que se passam em diversas cidades, entre elas, o Rio.

4 – ‘Cidade partida’, de Zuenir Ventura. Chegando ao fim do século XX, o jornalista Zuenir Ventura narra a experiência de dez meses vividos dentro da favela de Vigário Geral logo após a chacina de deixou 21 mortos, em 1993, e marcou a história do Rio de Janeiro. Em frequentes visitas, Zuenir reuniu material para revelar em detalhes a realidade violenta da cidade, dividida, separada por um vão de desigualdade social, que exclui e marginaliza os mais pobres, que vivem à margem do ‘progresso’ e do poder. Em 1995, o livro foi premiado na categoria Melhor Reportagem do Prêmio Jabuti.

DSCN2026

5 – ‘As cariocas’, de Sergio Porto, e ‘A carioca – Guia de estilo para viver a Cidade Maravilhosa’, de Renata Abranches e Tiago Petrik. O primeiro é uma coletânea de crônicas que relaciona os bairros cariocas a tipos de mulheres. Tem personagens como: ‘A noiva do Catete’, ‘A desquitada da Tijuca’, e a ‘Desinibida do Grajaú’. Em 2010, virou série de TV. O segundo é um projeto dos idealizadores do site Rioetc, que procura, desde 2007, fazer um grande apanhado otimista da cidade, com foco no estilo de vida de quem vive no Rio. O livro traça um perfil da mulher carioca (de nascença ou de vivência) e dá dicas imperdíveis para quem quer conhecer e aproveitar mais a capital fluminense.

6 – ‘Memórias das nuvens’, de Genilson Araújo, e ‘Rio de cantos 1000’, de Custodio Coimbra. Nós amamos fotografia! Por isso, escolhemos registros de dois dos melhores repórteres fotográficos em atividade atualmente no Rio para dividir com vocês. O que podemos dizer é que as duas obras são de babar e de se apaixonar. Livros para presentear os olhos e agradar as visitas.

7 – ‘Rio de Janeiro’, da Lonely Planet. Esse dispensa apresentações. A Lonely Planet é famosa por produzir alguns dos melhores guias de viagens. A dica vale mais para visitantes de primeira viagem, que não querem perder o ‘básico’ e gostam de ter sempre em mãos todos os detalhes.

Pronto, pode correr para a livraria mais próxima!

Viviane da Costa

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s