Descubra como compartilhar seu melhor com o mundo

A psicóloga Juliana Garcia mudou de vida para ajudar as pessoas a mudar também. Após anos trabalhando como psicoterapeuta – e ‘resolvendo’ aqueles problemas do passado que todos temos -, ela percebeu que queria mudar o próprio foco de atuação e fazer com que as pessoas olhassem mais para o presente. Hoje, ela trabalha como coach e garante que vontade é a chave para encontrar um novo caminho, mais próximo daquilo que você ama fazer. Na entrevista abaixo, Juliana fala sobre a importância de descobrir seu potencial e seus pontos fortes e empregá-los aqui e agora. Ela também dá dicas para que você se mantenha motivado durante o processo de busca pelo que realmente o faz feliz e alerta: ‘A partir do momento em que a gente começa, claro, levanta muita poeira, mas depois a coisa flui e a gente não quer mais parar!’.

efc741f0611c3323218d763d6020481d

Essa é a psicóloga Juliana Garcia, no home office dela. Foto: Pinterest

Como você define seu trabalho? Eu trabalho apoiando as pessoas a descobrir seu potencial e a viver fazendo aquilo que amam, compartilhando o seu melhor com o mundo. Faço isso através de coaching, consultorias, cursos e conteúdos que possam apoiar e inspirar as pessoas a dar seus passos.

Qual é a importância dele para outras pessoas? Acho que o primeiro ponto é proporcionar o contato com o próprio potencial. Infelizmente, somos muito bombardeados com esse olhar para o negativo, para os pontos fracos, para o que nos falta. A minha abordagem é para ligar outra chave, de perceber seus pontos fortes e até usá-los para trabalhar o que precisa ser melhorado. Essa mudança de foco muda tudo. E o ponto principal: cada pessoa que descobre seus potenciais influencia muitas outras e coloca algo de especial no mundo.

Como e quando você percebeu que queria ser coach e ajudar as pessoas a deixar a zona de conforto? A minha formação é na Psicologia, atuei como psicoterapeuta durante bons anos. Eu ajudava, sim, as pessoas, gostava do que fazia, mas tinha um chamado dentro de mim para apoiar as pessoas a olhar para o presente. A maioria das pessoas procurava a terapia para resolver questões do passado – e sim, temos quer resolvê-las. Só que dentro de mim a vontade era forte de mobilizar quem estivesse pronto e com vontade de agir no aqui e agora, agir e construir com o que tem nas mãos. Daí é que fui procurar caminhos para fazer isso. O coaching foi um deles. A escrita, cursos, vivências, conteúdos, tudo foi se somando para ajudar as pessoas de outras formas.

Eu percebo nos seus textos que são necessários vários fatores para que se possa viver fazendo o que se ama. Não existe uma fórmula mágica, né? O processo de busca pelo próprio potencial e por um caminho autêntico é trabalhoso? Por quê? Andam romanceando muito o ‘viver fazendo o que ama’, como se fosse um caminho só florido, como se não houvesse desafios, medos e ansiedades. Só que na realidade é um tremendo desafio e temos que enfrentar muitas coisas dentro e fora de nós. Em relação ao porquê de descobrir nosso potencial e caminho autêntico ser algo trabalhoso, boa parte é porque a gente não tem sido incentivado a olhar para isso. Cada vez mais se massifica o que é sucesso, o que é fracasso, o roteiro de vida ideal. Então, a gente precisa fazer toda uma jornada para descobrir qual é o nosso caminho e começar a perceber a si mesmo, agir, experimentar. A partir do momento em que a gente começa, claro, levanta muita poeira, mas depois a coisa flui e a gente não quer mais parar! Escrevi um artigo falando sobre os desafios e delícias de viver fazendo o que ama, que pode interessar a quem está lendo nosso papo.

No que as pessoas devem pensar para se sentirem motivadas durante o processo de mudança de vida? No resultado final apenas? Ou, durante o caminho, existem motivações que levam a pessoa adiante? Primeiro é bom a gente pensar no que é motivação. Ela remete aos motivos: quais são os porquês mais profundos, para que você quer mudar, o que você quer alcançar e por que isso é importante e essencial para você. Isso já é um bom início de conversa, ter bem claras as bases do que sustenta seu desejo por mudança. Essa noção bem viva, quem sabe até registrada numa lista que esteja sempre à mão, vai movendo a pessoa adiante. É a sensação de que vale a pena. Unir tanto a visão final do que você almeja quanto a observação de cada pequena vitória do caminho é acrescentar ainda mais motivação para esse processo.

Existe uma característica fundamental para quem está perdido e quer se encontrar, descobrir o que ama e colocar esse amor em prática? Vontade! E usar essa vontade de maneira ativa e determinada para seguir em frente, buscar informação, apoio, inspiração, fazer acontecer.

O Pinterest da Juliana é recheado de boas ideias. Vale a visita! O link está no final da entrevista

O Pinterest da Juliana é recheado de boas ideias. Vale a visita! O link está no final da entrevista

Achei curioso perceber na página de depoimentos que só há relatos femininos. As mulheres são as que mais te procuram? Isso tem a ver com alguma característica mais marcante da personalidade feminina? As mulheres são mais inquietas que os homens, por exemplo? As mulheres me procuram mais porque fiz durante muitos anos um trabalho voltado para o público feminino, então, acaba sendo natural. Meu público é mais feminino por uma construção que fui fazendo e pelo posicionamento da minha comunicação. Sinceramente, acho que as inquietudes existem tanto para o homem quanto para a mulher. Talvez os temas é que mudem um pouco. Existem algumas cobranças de perfeição que são mais duras no mundo feminino, além de barreiras sociais que temos quebrado nas últimas décadas, mas com certeza os homens também enfrentam uma série de desafios que são bem próprios do universo masculino. E há uma série de questões que são universais, e todos estão no mesmo barco querendo se realizar e encontrar seu lugar no mundo.

E você, se sente totalmente satisfeita hoje em dia com o que faz? Eu me sinto muito realizada por poder criar com autonomia, ter liberdade de tempo, construir propostas que apoiem as pessoas, levar minha mensagem muito além das barreiras de tempo e espaço através da internet, usar os recursos que eu quiser e que eu sinta que são verdadeiros, poder escolher quem trabalha comigo. Essa união de criatividade, liberdade e propósito são essenciais para mim.
Por isso mesmo, estou sempre em movimento, criando coisas novas e novos jeitos de fazer as mesmas coisas. Vou me reinventando no caminho também!

Para você conhecer ainda mais o trabalho da Juliana, aqui vão os caminhos: siteFacebook e Pinterest. E uma dica muito boa, da própria Juliana Garcia: ‘Assinando a minha newsletter, você ganha gratuitamente o e-book ’21 dicas para reinventar sua vida profissional’: http://bit.ly/1cZtFD3‘.

Viviane da Costa

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s