Expira, inspira: seis dicas que só um amigo poderia dar

Amigo que é amigo, quando gosta de uma coisa, não sossega até te convencer de que a tal coisa é mesmo muito legal. Essa é uma das graças da amizade: dividir interesses e enriquecer a vida do outro. Mesmo que você precise insistir bastante e até pentelhar um pouco o amigo querido. A Júlia, por exemplo, não se fez de rogada enquanto eu não conheci o som das meninas do Haim e concordei com ela que a história da banda valia esse post aqui no blog. Já eu, fiquei indignada quando descobri que, em pleno 2014, a Júlia não conhecia Bridget Jones. Rapidamente, dei uma missão de férias para ela: ver os DVDs dos filmes, emprestados por mim, claro.

Hoje, nós duas nos juntamos para convencer vocês, leitores, de que nós temos ótimas e imperdíveis dicas para suas vidas. Porque amigo é assim: quer sempre estar presente. Para a semana, para o mês ou para o ano, não importa, inspirações são sempre bem-vindas! Abaixo, listamos sugestões de coisas que amamos e que, apostamos, vocês também vão amar.

Um livro indicado pela Júlia: ‘Kafka à beira-mar’

kafka à beira-mar haruki murakami

Do autor japonês Haruki Murakami, conta a história do jovem Kafka Tamura, que foge de casa para encontrar a mãe e a irmã depois de viver sob uma profecia dita por seu próprio pai – de que um dia o mataria e dormiria com a mãe -, e de Satoru Nakata, um homem na casa dos 60 anos que, após passar por um acontecimento inusitado na infância, adquire um retardo mental que o possibilita conversar com gatos. Entre personagens tão curiosas, há ainda chuva de peixes, pedras que falam, prostitutas que recitam Hegel. Sim, parece absurdo e bizarro. Entretanto, talvez, esteja aí o que há de mais encantador para mim na literatura de Hurakami: a incrível habilidade de fazer o leitor questionar o que é sonho e realidade enquanto devora as páginas do livro, e a capacidade de usar a fantasia para nos fazer refletir sobre questões filosóficas, os sentimentos humanos e a busca pelo eu. Acho que não tenho palavras suficientes para expressar o efeito avassalador que esse livro teve sobre mim e só posso fazer uma recomendação: leia! Porém, fica o alerta, deixe-se levar pela história porque, no final, ela tem um grande poder de fazer confundir e questionar maior do que esclarecer.

Outro livro, indicado pela Vivi: ‘Cadê você, Bernadette?’

bernadette

Se você é do tipo que julga um livro pela capa, vai achar que ‘Cadê você, Bernadette?’, de Maria Semple, é um romance light, desses que você lê bem rapidinho. Dizer que a narradora é uma menina de 15 anos pode fazer você ter certeza de que resume-se a uma história água com açúcar, ideal para um fim de semana sem preocupações. Nada disso é mentira. Mas também é pouco para definir o que é de verdade ‘Cadê você, Bernadette?’. O livro conta a história de Bee, uma menina que busca em bilhetes, documentos do FBI, emails e o que mais vê pela frente, pistas que possam levar ao paradeiro da mãe, a Bernadette do título, que sumiu às vésperas de uma importante viagem de família. Com narrativa ousada, cheia de fragmentos, e ao mesmo tempo absolutamente simples e divertida, Maria Semple reflete sobre as relações pessoais no mundo atual sem ser piegas. É imperdível!

Um aplicativo indicado pela Júlia: Spotify

spotify

Já fazia um tempinho que ouvia a Vivi falar maravilhas sobre o Rdio. Um outro amigo não parava de falar do quão fantástico era o Spotify. E eu, nesse tempo todo, era a excluída dos serviços de música por streaming. Até que a razão tomou conta da minha consciência e ganhei um convite para o Spotify antes mesmo dele chegar oficialmente no Brasil. Pronto, me apaixonei. Além de, claro, poder ouvir suas músicas preferidas, ainda dá para descobrir novos artistas, conferir playlists nos mais variados temas e – uma das minhas partes favoritas – escutar no celular, por meio do aplicativo, mesmo sem estar com internet. Não vou fazer aqui nenhum comparativo entre os serviços de streaming e acredito que outros tenham funcionalidades iguais ou parecidas com as do Spotify. Mas eu me apaixonei mesmo, sou fiel, não troco e nem quero experimentar nenhum outro e só indico ele.

Uma música indicada pela Vivi: ‘Chandelier’

A cantora Sia – voz (maravilhosa) dos hits ‘Titanium’ e ‘She wolf’, do DJ David Guetta – lançou nesse mês o que promete ser um dos melhores discos do ano: ‘1000 forms of fear‘. O single ‘Chandelier‘, meu atual vício musical e visual, já faz sucesso desde maio. A música e o clipe são estonteantes. A performance da pequena dançarina Maddie Ziegler é hipnotizante. O conceito do disco, fascinante. Com ele, contou, em entrevista à revista Dazed, Sia não quer ser famosa. Portanto, para evitar mostrar o rosto durante a promoção do trabalho, ela criou uma marca, o cabelo curto e loiro, chamado de blonde bob. Essa estratégia tem rendido apresentações fantásticas de Sia em programas de TV, como, por exemplo, no Late Night, com Seth Meyers: a cantora canta deitada de bruços em uma cama enquanto a atriz Lena Dunham interpreta a canção. Mais dois motivos para você amar Sia: ela é autora de ‘Diamonds’, da Rihanna, e de ‘Pretty hurts’, da Beyoncé.

Um blog indicado pela Júlia: Be Happy Now

be happy now2

É um dos blogs mais legais que eu conheço sobre viagem – e olha que tem muito blog legal sobre o tema aí pela internet. Eu comecei a me interessar por eles quando resolvi fazer minha primeira viagem sozinha. Mas só fui conhecer o da Amanda Noventa depois e não tinha como não me identificar com esse texto aqui, em que ela fala sobre a experiência de viajar solo. Desde então, virei leitora fiel. Além da Amanda escrever numa forma delícia de ler, as dicas são ótimas e não deixam morrer nunca em mim a vontade de viajar mais.

Uma série indicada pela Vivi: ‘True Detective’

Nesse mês foi lançada em DVD – com extras – a primeira temporada da série ‘True Detective’, sucesso da HBO. (Aliás, obrigada HBO por produzir séries tão incríveis que disputam lugar com o cinema no meu coração.) Em oito episódios, Matthew McConaughey e Woody Harrelson interpretam os detetives Rust Cohle e Martin Hart, responsáveis pela investigação de um crime que chocou moradores do interior da Louisiana. A série percorre a busca de 17 anos dos dois policiais por um serial killer. Mas não pense que trata-se de um triller policial qualquer. ‘True Detective’ é um drama cheio de surpresas e suspense, com direito a pitadas de reflexão sobre o comportamento humano. Dizer o que a série tem de melhor é impossível. Tudo é sensacional: as atuações de McConaughey e Harrelson, provavelmente nos melhores papéis de suas carreiras; a narrativa quase literária do roteiro de Nic Pizzolatto, que mistura flashbacks e flashforwards sem deixar que você se perca; a trilha sonora; os discursos épicos do detetive Rusty; e, claro, o final. Sim, a primeira temporada tem início, meio e fim. A próxima, que estreia em 2015, ainda é cercada de mistérios, mas, ao que tudo indica, trará outro enredo, inclusive, com novos personagens. Comprar os DVDs de ‘True Detective’ é a chance de ter uma obra de arte na estante da sala. Ah, a abertura também é brilhante.

Júlia Faria e Viviane da Costa

3 comentários sobre “Expira, inspira: seis dicas que só um amigo poderia dar

  1. Pingback: Expira, inspira: sem música, a vida seria um erro | um fôlego

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s