Expira, inspira: como dar uma nova perspectiva à sua próxima viagem

drive2develop

Quando estava de férias em Cartagena, como contei aqui, um grupo de viajantes gerou uma espécie de burburinho entre algumas pessoas que conheci. Eram ‘os meninos do carro laranja’, quatro amigos holandeses que estavam viajando de carro pela América Latina e que tinham como destino final o Brasil, durante a Copa do Mundo. Uma noite, conheci um desses viajantes, que me fez ver que a viagem era muito mais do que uma diversão. Jasper De Lange, 26 anos, engenheiro e um grande otimista que, em meio a passos desajeitados de dança colombiana, me disse uma daquelas frases que a gente precisa sempre lembrar na vida: ‘Se você quer mesmo alguma coisa, deve parar de reclamar e acreditar que com esforço e vontade é possível conseguir’.

Pois com esforço e vontade, ele e os amigos Ab Streppel, Bjin Worms, Egbert Pot chegaram à Colômbia em maio. Passaram por cidades no Equador, Peru, Bolívia e Argentina até chegar ao Brasil. Ao todo, 13 mil quilômetros percorridos em 10 semanas com um carro laranja – e também uma moto. A cor do uniforme holandês nos veículos era uma forma de dar apoio à seleção do país deles na Copa. A viagem, porém, foi mais do que uma aventura para conhecer novos lugares e torcer pela Holanda. Jasper e os amigos decidiram que queriam contribuir de alguma forma para melhorar alguns dos lugares por onde passariam.

‘Durante todo o tempo em que planejávamos a viagem, decidimos que queríamos ajudar. Era uma boa forma de dar mais significado à viagem. Então, entramos em contato com ONGs que têm alguma conexão com a Holanda e estabelecemos o que poderíamos fazer por elas’, diz Jasper.

Foram duas as ONGs escolhidas: Mi Casa en Ipauratu, em Barranquilla, na Colômbia, e Mama Alice, em Ayacucho, no Peru. Para a primeira ONG, que promove atividades entre crianças da cidade colombiana, eles levaram uma quantia arrecadada de 3 mil euros e ajudaram carpinteiros locais a construir armários para guardar brinquedos. A segunda ONG, que ajuda mulheres com muitos filhos e abandonadas pelos maridos, recebeu máquinas de costura para que as mães de família pudessem ter um trabalho digno.

A ideia para a viagem nasceu cerca de um ano antes da Copa do Mundo, tempo que o grupo teve para organizar, entre outras coisas, o transporte do carro, os gastos que teriam com combustível e o que levariam para as ONGs na América Latina. Parte do grupo já tinha experiência em viagens longas de carro – Ab já viajou de Amsterdã para Gambia, na África, e Egbert, de Amsterdã para a China. Durante a organização da viagem, o projeto ganhou o nome de Drive2Develop e passou a fazer parte de uma iniciativa maior, chamada Orange Trophy, que reuniu equipes – todas em carros na cor laranja – para promover a seleção holandesa, viajando de Nova York até o Rio de Janeiro. Com um orçamento menor, Jasper e os amigos optaram por viajar apenas pela América do Sul.

Segundo ele, acrescentar o trabalho voluntário deu à viagem uma nova perspectiva. Entre tantas experiências, Jasper poderia ter elegido como a melhor delas um lugar incrível ou a emoção de ver a seleção holandesa avançar na Copa. Mas a escolha foi outra. ‘Acho que a melhor experiência que vivi foi com as ONGs, especialmente a Mama Alice, no Peru. Além das mulheres, eles também ajudam jovens a deixar as drogas e aprender uma profissão, como a de carpinteiro. Trouxemos ferramentas de segunda mão para as aulas de carpintaria. Doar essas coisas às pessoas e ver como isso as ajuda de verdade é ótimo. Foi o que mais me impressionou em toda a viagem’, ele conta alguns meses depois, já de volta à Holanda.

carro com locais

Se você ficou com vontade de fazer algo parecido e combinar aventura com trabalho voluntário, saiba que algumas organizações oferecem alimentação e hospedagem de graça em diferentes países do mundo para quem se dispõe a colaborar em obras de caráter social. Plataformas como o Workaway reúnem, além de hostels que oferecem abrigo para quem trabalha no local por algumas horas semanais, programas de voluntariado que pedem, em troca de cama e comida, ajuda em atividades como dar aulas e construir áreas de lazer para crianças carentes. Também é possível, claro, se espelhar no exemplo do Jasper e dos outros meninos holandeses e entrar diretamente em contato com ONGs para oferecer ajuda. Não importa se a sua viagem será longa ou se vão ser apenas os 30 dias de férias, o mínimo que você contribui já é importante. Afinal, seja como for, o que vale é ajudar e colaborar por um mundo melhor.

English version available here.

Júlia Faria (Fotos: Drive2Develop)

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s