Melhor do Rio: Urca (parte 2)

Urca, aqui me tens de regressoEm fevereiro, prometi voltar e contar para vocês o que mais a Urca tem de melhor. Hoje é o dia de cumprir a promessa! Para compensar o atraso – e fazer um pouquinho diferente -, começo com fotos. Porque não existe nada que uma boa foto não seja capaz de traduzir.

1 DSCN1804

1 DSCN1889

1 DSCN1881

1 DSCN1839

1 DSCN1871

1 DSCN1934

1 DSCN1917

1 DSCN1942

A ‘parte de dentro’ do bairro é um deleite para os olhos, o paladar e, com sorte, para o coração. Explico. O charme e a graça desse canto do Rio atende, para os mais íntimos – que somos todos nós-, por Mureta da Urca. Nada mais é do que a avenida João Luiz Alves, que beira toda aquela parte da Baía de Guanabara, com um muro baixo, de pedra, perfeito para você sentar e admirar o espetáculo da natureza. O calçadão de pedras portuguesas, de estilo parecido com o o de Copacabana é uma graça. A visita no fim da tarde é indispensável.

Logo no início da mureta fica um ancoradouro, com os barcos mais fotos e charmosos da Baía. Grande parte deles é de madeira, com cores fortes e aquele ar artesanal que você encontra muito em Paraty. Há por ali, inclusive, pessoas que fizeram dos barcos suas casas e são navegadas pelo mar. Sim, estou toda trabalhada nas referências musicais e visuais hoje. Aliás, vamos fazer uma pausa para ouvir e ver ‘Next Time Around‘, da banda Little Joy. O clipe foi gravado todinho na Urca. Uma delícia.

Ainda precisa de motivos verbais para conhecer a Urca? Tudo bem. Nós temos! Vamos para o apelo gastronômico e emocional do bairro. Seguindo pela mureta, da qual você não deve se separar, dá para ver os aviões decolando do aeroporto Santos Dumont, a ponte Rio-Niterói, os bondinhos passando de um morro para o outro e as casinhas antigas, lindas e bem conservadas. Além disso, e mais importante, há os bares e restaurantes. Muitos deles. O mais conhecido, sem dúvidas, é o Bar Urca, que já virou patrimônio da alma carioca. Ele fica na rua Cândido Gaffrée, 205. Mas o divertido é fazer seu pedido e levar para a mureta com os amigos. É aí que entra a parte emocional. Entre um papo e outro, uma coincidência aqui, uma química ali, de repente, rola algo mais com aquele gatinho ou gatinha muito interessante. Essa parte, claro, é por sua conta.

No final da mureta fica a Fortaleza de São João. Foi onde hoje fica a Fortaleza que, em 1º de março de 1565, Estácio de Sá fundou, entre os Morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, a cidade do Rio de Janeiro. Para visitar, é preciso marcar previamente, portanto, sugiro que você ligue e tire todas as dúvidas que possa ter: 2586-2203 e 2543-3323. Também nessa parte da Urca fica a antiga e majestosa sede do Cassino da Urca, que, depois, foi sede da TV Tupi, e hoje abriga o Instituto Europeu de Design. Se você se apaixonou e precisa de uma desculpa para visitar a Urca com frequência, saiba que no IED há cursos de moda, design e artes visuais. É só achar um que seja a sua cara e ser feliz!

Viviane da Costa (texto e fotos)

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s