Melhor do Rio: Méier

O Méier me deu de presente algumas das minhas melhores amizades. Uma delas é a baixinha mais abusada, parceira e competente da Zona Norte do Rio de Janeiro: Camila Carelli. Hoje, ela vai nos ajudar a descobrir o que mais o Méier tem de bom, além, é claro, dos moradores. Afinal, uma gente que tem bordão próprio – ‘Quem é do Méier, não bobéier!’ – só pode ser do bem. A Camilinha, por exemplo, se tivesse trilha sonora, com certeza seria: ‘Garota carioca, suingue, sangue bom’. Cheia de atitude, ela topa qualquer parada e, você vai conferir abaixo, consegue reunir dicas que unem informação, diversão e alimentação na medida certa. Ok, talvez tenha comida demais na história, mas, se não fosse assim, não seria a Camila.

Centro Cultural João Nogueira, o Imperator. Tudo bem que a gente adorava a feirinha que funcionou durantes os anos em que a antiga casa de show ficou fechada, mas é ótimo ter uma opção cultural novamente. No coração do Méier, na Dias da Cruz, o novo nome já diz, é centro cultural. Tem teatro, exposição e cinema. (O Méier não tinha mais cinema). É saudosismo e diversão. Bom para ir com os amigos do colégio, depois da aula, fazer social com os vizinhos, e até levar a família, porque seus pais vão adorar relembrar os shows que assistiram ali.

Sábado Premium no Teatro Agildo Ribeiro. Claro que não pode faltar uma baladinha. E logo nesse espaço onde funcionou uma das melhores matinês do bairro! Dá para lembrar aquele mico que você pagou na festa do amiguinho do colégio na antiga ‘Tubes’, curtindo o sambinha que rola todo sábado à noite, no agora Teatro Agildo Ribeiro. Em frente ao Jardim do Méier, pertinho da linha do trem, no ponto mais sagrado. Perto do hospital Salgado Filho e da tradicional Igreja Imaculado Coração de Maria. Sambinha, pagode e DJs, com um preço bem acessível. A pegação é garantida!

Padarias (Rainha e Estação do Pão). Se tem uma coisa única no Méier são as padarias. Não são apenas enormes e cheias de guloseimas, elas têm os melhores quitutes e lanchinhos da região. Na Estação do Pão, tem pães doces espetaculares, rosquinha com açúcar e canela, sem falar nas sopas que são uma excelente opção para o inverno. Na Rainha do Méier,  a dica é o café da manhã. Vale sair do exame de sangue, em jejum, e pedir aquela média com pão na chapa no balcão. Quem nunca?! Ou sentar lá dentro e se esbaldar com os salgados e pães do café da manhã a quilo. Isso mesmo. Café da manhã no melhor estilo self service. Um único defeito: os precinhos são salgados.

Habib’s. Não, esse Habib’s não é muito diferente dos outros. Os preços são os mesmos e ele funciona 24 horas por dia. Esse é o detalhe. É lá que todo mundo vai curar a larica da night. E, por isso, é certo encontrar vários amigos que nem estavam na mesma noitada que você e sentar todo mundo na mesma mesa. O mais divertido é a conta conjunta: 53 esfirras de queijo, 27 quibes cremily… E por aí vai. É daqui também que saem os ônibus e vans para as micaretas no Riocentro. Sem dúvida, um dos mais badalados e gostosos pontos de encontro do Méier.

Baixo Méier. Se a ideia é aquele encontro descontraído com os amigos, aqui é parada obrigatória. Um dos principais redutos boêmios da Zona Norte reúne opções de todos os tipos. O bar mais famoso é o Reza Forte: música, bebida, sinuca, totó e fliperama. Se não quiser curtir os DJs ou a música ao vivo lá dentro, dá pra pegar uma mesinha na calçada. O bom aqui é a descontração típica do subúrbio carioca: chinelo, sapato, camiseta ou roupa social, todo mundo se mistura para tomar uma gelada na mesa de plástico na calçada. Seja no Bar do Sardinha ou no Bar do Zé. Seja para comemorar, relaxar ou assistir aos jogos do seu time com os amigos. Ah, e se estiver só a fim de comer, tem opções de rodízio de pizza e até O Príncipe da Arábia, especializado em comida árabe. Algumas opções também funcionam na hora do almoço. À noite, claro, você vai encontrar na mesa do lado vários amigos que não vê há seculos. Da casa antiga, do colégio, do cursinho… Porque no Méier todo mundo tem pelo menos um amigo em comum e, se o mundo é um ovo, o Méier é um ovo de codorna.

Viviane da Costa

4 comentários sobre “Melhor do Rio: Méier

    • Éica, você foi a primeira a ‘reclamar’ a falta do Bar do Adão! Teremos que reparar essa falha com outro post sobre o Méier. Aguarde! Ah, adoro suas visitas. :)

  1. Olá, faltou falar também do Quintal do Sambalaiê, que acontece todos os domingos no espeto Méier, no baixo. Fica muito cheio, só gente bonita e adoro aquele meninos, hahaha!!! Bjs, é belo artigo !!!😊

    • hahahaha Adorei a dica e a sinceridade! Já recebemos várias sugestões sobre o Méier. Acho que teremos um post “Méier – parte 2” em breve!

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s