De onde vem o biquíni que você talvez use no próximo verão

Vem chegando o verão, um calor no coração e em todo o canto do Rio de Janeiro. Se já sonhamos com praia mesmo quando o sol não está tão radiante, é nesses dias muito mais quentes que cresce a vontade de colocar um biquíni no corpo e dar um mergulho. Nosso amor declarado por essa pecinha de roupa – bem ‘inha’ dependendo do modelo escolhido – não é por menos. Biquínis são a cara do Rio. A peça não é brasileira, foi criada pelo francês Louis Réard no atol de Bikini, no Pacífico em 1946. Por aqui, o biquíni começou a ser usado só no final da década de 50 e foi nas areias das praias cariocas que a peça encontrou sua principal passarela.

Era bem ali no trecho em frente ao Copacabana Palace que as então vedetes Carmen Verônica e Norma Tamar atraíam olhares para a modernidade e ousadia da peça de roupa. Alguns anos depois, na década de 60, Brigitte Bardot desfilava inspiração para a recém-nascida moda praia nacional nas areias de Búzios, na Região de Lagos, assim como fazia Helô Pinheiro, a musa de Tom e Vinícius, na praia de Ipanema. Era a época das calcinhas mais comportadas e dos maiôs com recorte para ‘enganar mamãe’. Já na década de 70, foi a vez de Rose di Primo parar as areias cariocas com um novo modelo de bíquini, a tanga, que pouco escondia do corpo. Daí em diante, a moda praia não parou. Nos anos 80, surgiram os modelos enroladinho, de lacinho, asa delta, cortininha, fio dental, bem cavados, com tecidos nobres ou rústicos. Toda sensualidade carioca em uma só peça de roupa.

Mais adiante, na década de 90, foi o momento da moda praia crescer, se industrializar, ganhar o mundo. Hoje, no vai e volta das tendências, tudo que era hit lá atrás já retornou triunfal aos corpos femininos nas praias do Rio. Se nos últimos verões, as hot pants – ou calcinhas da vovó, na realidade brasileira – e os maiôs vazados faziam relembrar a moda dos anos passados, em 2015, duas novas peças prometem nos causar a sensação de entrar na máquina do tempo: o biquíni de crochê e o modelo cavadão, apostas de grandes marcas para a estação que vem chegando. Os dois modelos eram sucesso nos anos 70 e 80 e voltam agora com uma releitura mais atual, claro, porém sem negar o passado de onde vêm. Experimente mostrar uma das fotos abaixo para sua mãe, tia ou avó e espere para ouvir aquela clássica frase: ‘no meu tempo já se usava isso’ (levanta a mão quem tem mãe que fala exatamente assim! o/).

Se eles vão ser mesmo febre nas areias cariocas nos próximos meses? Bom, faltam pouquinhos dias para a gente começar a descobrir. #faltapoucoparaoverão

Júlia Faria

E aí, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s